foto (9)Decorreu na sexta-feira, dia 9 de Maio, na Quinta dos Marmelais em Tomar uma sessão de esclarecimentos sobre seguros apícolas organizada pela Associação dos Apicultores do Centro de Portugal. Estiveram presentes Rodrigo Gomes da Mapfre Seguros e Teresa Lago do Grupo F. Rego Correctores de Seguros que apresentaram o novo seguro apícola e fizeram várias simulações de acordo com o número de colmeias e as coberturas da apólice (responsabilidade civil e/ou roubo e/ou vandalismo e/ou incêndio).  

Os cerca de 20 apicultores presentes fizeram muitas questões sobre os seguros e falaram das peculiaridades da apicultura. Se por um lado, um apicultor não retira muitos lucros da sua actividade e os seguros têm um prémio anual que não é insignificante, por outro lado o risco de o apicultor perder muito mais dinheiro de um dia para o outro devido a um incêndio ou roubo é elevado. segurosapicolasAssim que se discutiram este e outros dilemas entre as 18 e as 21 horas na Quinta dos Marmelais, espaço gentilmente cedido pela Câmara Municipal de Tomar, numa sessão muito frutífera.
Algumas informações da sessão:
– o seguro de responsabilidade civil segura danos causados pelo apicultor, pelas suas abelhas e equipamentos e instalações a terceiros e inclui os trajetos entre apiários e restantes instalações do apicultor;
– é obrigatório fazer o seguro de responsabilidade civil e depois pode-se combinar esse seguro com os seguros contra roubo, vandalismo e/ou incêndio;
– os seguros são feitos com a associação de apicultores, nunca com apicultores individuais;
– os seguros são para apiários, havendo 4 escalas: 25, 50, 75 e 100 colmeias em cada apiário;
– em caso de fraude por parte do apicultor, é instaurado um processo-crime por parte da seguradora;
– a companhia de seguros não exige limpeza de terrenos nem instalação de vedações e equipamentos de segurança nos apiários;
– seguros contratualizados a meio do ano não obrigam ao pagamento do prémio total mas sim ao prémio correspondente aos meses do ano que faltam;
– só há lugar a indemnização por parte da companhia de seguros se o apiário e/ou operação apícola estiver dentro da lei. Se por acaso a operação não estiver legal e a companhia decidir não indemnizar o apicultor (em caso de um roubo, incêndio, etc…), também o contrato de seguro é considerado nulo desde o início e a companhia devolve os prémios anuais pagos pelo apicultor até então;
– caso o mesmo incidente ocorra recorrentemente e da mesma forma, a companhia de seguros reserva-se o direito de não renovar a apólice a esse apicultor;
– é em princípio mais barato e eficaz contratar um seguro apícola do que instalar os equipamentos de monitorização das colmeias disponíveis no mercado;
– quem desejar fazer um seguro para os seus apiários poderá dirigir-se à Associação dos Apicultores do Centro de Portugal, dirigindo-se à nossa sede às sextas-feiras de manhã ou enviando um email para apicultoresdocentro@gmail.com.
seguros

SIMULAÇÕES:

 

seguros2

seguros3

mais informação: http://www.mapfre.pt/?idc=1679&idi=13331