Notícia publicada na Radio Hertz: http://www.radiohertz.pt/?pagina=noticias&id=14521

O Cineteatro de Tomar recebeu o filme “Abelhas e Homens”, evento organizado pela Associação dos Apicultores do Centro de Portugal em parceria com a Associação Quercus e a Câmara Municipal de Tomar. Inspirados pelo tema, o espírito de cooperação que uniu estas organizações, permitiu que este evento fosse um sucesso, atraindo mais de 150 pessoas entre apicultores e interessados em saber mais sobre este insecto tão especial.

Lanche depois do filme

A recepção ao evento não podia ser melhor, com a banca dos apiários “Flores do Zêzere” a estimular os sentidos de todos os participantes. O tom dourado atraia a nossa visão e os nossos passos e ao aproximarmo-nos conseguíamos ver a diversidade dos produtos da colmeia que o apicultor Jorge Dias Henriques punha à nossa disposição: velas de cera de abelha, frascos de pólen, méis oriundos de flores diferentes, tudo disposto de forma harmoniosa e cuidada. Aleando a apicultura à pedagogia, podíamos consultar vários cartazes com informação educativa sobre o tema. Por volta das 15:30 iniciou-se a projecção do filme e a plateia do cineteatro susteve a respiração…eis que nasce uma rainha! Imagens detalhadas do interior da colmeia permitiram-nos observar a sua dinâmica complexa e revelar uma sociedade equilibrada, onde todos os indivíduos trabalham em sintonia e cooperação. Pudemos acompanhar uma abelha na sua labuta diária de flor em flor e o voo nupcial de uma rainha jovem, como momento crucial para a sobrevivência da sua prole. A dada altura, estas imagens de extrema beleza deram lugar a momentos intensos onde se mostrava a crueza da indústria apícola de grandes dimensões. O zumbido orquestral passou para segundo plano e sobressaíram os sons mecânicos de uma indústria sem limites… Hectares e hectares de monoculturas, desertos em vez de solos pulsantes de vida, pulverizações de químicos letais, transumância desumana, apicultores insensíveis, fábricas de mel alheadas do real valor do seu produto e milhares de flores de macieiras pinceladas com pólen por mãos humanas, devido à ausência total de insectos polinizadores. Julgo que o desvendar destes mundos permitiu aos presentes reflectir sobre a importância da abelha para a sobrevivência da humanidade e sobre o papel do Homem no equilíbrio da Natureza. Seguiu-se o momento de convívio, não sem antes o Presidente da Associação dos Apicultores (Ildebrando Ferreira) fazer um discurso eloquente sobre o filme e a apicultura em geral e agradecer de forma veemente à Quercus e à Câmara Municipal pela organização de todo o evento. Chegou mesmo a anunciar que, depois da associação dos apicultores ter sido tão bem recebida na Câmara Municipal pela sua presidente, se esperam grandes desenvolvimentos para a associação e para Tomar na área da apicultura. O convívio após o filme foi adoçado por uma mesa de bolos caseiros à base de mel, refrescos, licores e aguardentes de mel trazidos pelos apicultores locais e suas famílias. De realçar o notório empenho e dedicação destes apicultores que com o coração cheio partilharam voluntariamente os seus produtos e a sua arte. Nesta atmosfera melífera, cruzaram-se duas gerações de apicultores, partilharam-se saberes e experiências, despertou-se a curiosidade sobre este mundo e reflectiu-se sobre o presente e o futuro da apicultura. Perante o sucesso deste evento, todos os participantes aguardam com expectativa mais encontros semelhantes.

artigo escrito por Sónia Fonseca

fotografia de Ricardo Marques